COMPARTILHAR
Depois de uma experiência alucinante com a minha Buldog 1100 na pista de Portimão (Curso de Condução Avançada promovido pela Action Team), fui apoderado por uma súbita e incontrolável vontade de comprar uma mota menos ‘zen’ e mais ‘R’…

 

Como também não queria cair em exageros… optei por comprar uma ‘R-Zen’ 🙂 e optei por uma BMW R1200S usada, com pouco menos de 10.000km!

Estética arrebatadora e inquestionáveis qualidades dinâmicas… no entanto, e para o dia-a-dia, detestei!!
Se arrependimento matasse, estava estendido no chão ao cabo de 3 semanas após a compra! Suspensões rijas (apesar de reguláveis), peso sempre ‘à frente’ a sobrecarregar os pulsos e um Akrapovic (de origem mas sem os silenciadores) demasiado ‘presente’ para o meu gosto….
Era desta…. ao final de vários anos como utilizador diário de motociclos, vi nesta ‘má escolha’ uma hipótese de repensar estratégias e apontar para um meio de transporte mais ‘versátil’…. ou seja, quer chovesse ou fizesse sol, quer fizessem 2 graus ou 40, passava a ser-me indiferente e gerador de muito, mas muito menos stress organizacional!
Peguei no dinheiro da venda da R1200S e comprei o 15-JE-30, um Smart Fortwo Cdi de 2003, com 72.000km!

 

 Comprado num stand da ‘especialidade’ (só vende smarts) no concelho de Sintra, tive a oportunidade de escolher até a cor dos painéis exteriores, tal era a quantidade de carros para venda! Optei por um modelo de 06/2003, versão ‘Passion’, que trazia de origem o AC, caixa automática, o tecto panorâmico, vidros eléctricos, fecho central com comando, rádio ‘superior’ (com um som do caraças!) e, no caso do meu carro, bancos aquecidos em pele…. um luxo!! 😉

 

 Na compra do carro, o referido stand ‘oferecia’ 3 anos de garantia desde que o cliente se prontificasse a realizar manutenções de 7.500 em 7.500km em oficinas próprias… isto apesar da marca só recomendar fazer as manutenções de 10.000 em 10.000km.
No dia em que fui levantar o carro ao stand, e apesar de estar perfeitamente consciente que trazia um carro com 41cv a diesel, reparei ao final de poucos metros que o carro era muuuuito lento! Mas tão lento que só podia haver algum problema…. o que veio a confirmar-se na primeira (ligeira) subida que apanhei ao final de 5 mins de condução, com o pequeno Smart a recusar-se passar dos 60km/h…. Estava ‘armado’ o circo!!

 

Voltei imediatamente para o stand e diagnosticaram-me uma fuga num tubo qualquer do turbo, originando uma perda considerável de potência… Saltou-me a mola e percebi logo que nem se tinham dado ao trabalho de verificar o carro antes de mo entregarem….!! 🙁
E começou a minha ‘novela’…..
 Apenas dois dias mais tarde, voltei ao stand com o AC a recusar-se a fazer frio…. ‘Ah e tal, precisa de ser carregado…’ Por causa do AC, voltei lá mais 4 vezes ao longo de 2 semanas!!! Até que chegaram à conclusão (acho que sabiam desde o primeiro dia) que o radiador do AC tinha que ser substituído!

 

Sempre tive a sensação que o pedal do travão era assim um bocado ‘esponjoso’, obrigando-me por vezes a ter que ‘injectar’ travões para sentir consistência no pedal… e para apanhar uns sustos!! Reclamação feita junto do stand…. ‘Ah e tal isso podem ser os afinadores automáticos…’ Por causa da ‘moleza’ do pedal, voltei lá meia dúzia de vezes ao longo de 2 meses!
Em paralelo com os travões ‘gelatina’, sentia a direcção ‘perra’ numa certa e determinada posição de volante, quer para a esquerda o para a direita…. ‘Ah e tal isso devem ser as ponteiras de direcção com algum empeno…’ , pois, pois…. depois de 3 ou 4 visitas à oficina, tiveram ‘só’ que trocar a coluna de direcção. depois de eu me passar com eles no seguimento de um valente susto com a direcção literalmente ‘trancada’ à saída de uma rotunda perto de casa…. o carro até teve que ser rebocado, pois não podia ser conduzido….
Certo dia, a porta do lado do pendura não lhe apetecia fechar…. e lá fez a minha filha cerca de 20km a segurar a porta…. que se podia abrir a qualquer momento, medonho!!

 

Como devem imaginar, já não podia ver o stand à frente!! Desculpas esfarrapadas umas atrás das outras e muito, muito tempo perdido….
Reforço que até então ainda não tinha pago um tostão do meu bolso na medida em que fui sempre reclamando a tempo e horas e alegando a ‘tal’ garantia de 3 anos!
Depois veio uma avaria no alternador, ao cabo de 1 ano… ‘Ah e tal, alternador é parte eléctrica e não está coberto pela garantia que é só referente a motor e caixa…’, Bom…. aí comecei a não achar graça…. depois vieram fugas de óleo de retentores e borrachas ressequidas (por mais do que uma vez), uma escova do pára-brisas que saltou em andamento (a do lado do condutor), partindo-me a antena do rádio!!
A esta altura, percebi que a garantia de 3 anos não valia um tostão e mesmo que fosse uma suposta avaria de ‘motor e caixa’, fiquei com a clara sensação que o stand, depois de suportar o custo de ‘n’ avarias no meu carro, não me ia pagar mais nada! Assim sendo, deixei de lá ir…. porque não gosto que pessoas ou empresas, falhem com o prometido!
Para ‘castigo’, tive uma fuga de gasóleo na rampa do ‘common rail’ e, não fosse o facto do meu ‘stand de confiança’ ter conseguido arranjar-me uma peça em ‘segunda mão’ para substituir, a reparação desse órgão mecânico, ter-me-ia custado mais de Eur1.000!!!
Eh pá! Mas que porcaria de carro!

 

ERRADO!
Eu adorava o meu Smart! Apesar das inúmeras avarias, dos transtornos com idas e vindas constantes ao stand (a 20km de casa), das zangas com o responsável do stand…. eu gostava imenso de conduzir o ‘Fortwo’!
E mais passei a gostar, qd lhe instalei uma ‘powerbox’ (http://www.chiptunning.eu/lang-en/smart/588-chiptuning-smart-fortwo-cdi-41-hp.html), e o pequeno Cdi conquistou outra ‘alma’, conseguindo manter velocidades muito aceitáveis (120/130) mesmo perante inclinações que antes o fariam perder velocidade para perto de 90/100!

 

 A caixa, bom… quanto a essa não havia nada a fazer… era leeeeenta e, ou como eu, se guiava 90% em modo ‘sequencial’ ou, se ignorava e se deixava andar! Não era um defeito, era mesmo feitio e fazia coisas absolutamente inexplicáveis como; reduzir bruscamente para 1ª em locais onde se aguentava facilmente uma 2ª ou, teimar em meter a 6ª (extra-longa) assim que se aliviasse um pouco a pressão no acelerador, quando se rolava em 5ª!
As suspensões, apesar de ‘rijinhas’ não eram desconfortáveis e cheguei mesmo a levá-lo para algumas tiradas mais longas em AE, cruzando a ritmos estáveis de 120/130 (o cdi encontra-se electronicamente limitado a 135km/h), desfrutando do magnífico som proporcionado pelo auto-rádio de origem!

O estacionar, como devem imaginar num carro com 2.5m de comprimento, é uma ‘brincadeira de crianças’ e, ao ‘comprido’ ou de ‘lado’, arranja-se sempre uma forma e nem a ausência da direcção assistida complica a manobra! Praticabilidade em alta!
 A mala, um ‘cantinho’ com pouco mais de 100 litros, nunca se revelou ‘curta’ e nem tão pouco se amedrontava com o transporte de objectos maiores (prancha de surf por ex), para o que muito contribuía o banco do pendura rebatível!
Não caiam em ‘histórias da carochinha’ se ouvirem falar de consumos de 3 ou 4 litros/100 nos Smart diesel! Bom, a não ser que andem sempre em descidas e nunca passem dos 80km/h…
O meu carro fazia cerca de 400km com um depósito cheio, leia-se 22 litros de gasóleo! Portanto, estamos a falar de 5litros/100…. por aí…
Não sendo extraordinariamente baixos, são bastante bons…. mas se pensarmos que a minha carrinha A4 1.9Tdi de 130cv e 1.500kg de peso, gasta 6litros/100…. estão a ver não é?
Muito se fala nos ‘arranques’ dos Smarts…. hhhmmm… vamos lá relativizar a coisa…. até aos 50/60, são ‘despachadinhos’…. mas a marca anuncia quase 19s dos 0-100! Mais ou menos o mesmo que um Fiat Panda 750! Obviamente que, no caso do meu, e devido à instalação do ‘chip’, as acelerações tinham saído beneficiadas, mas nada que o tornasse num ‘dragster de semáforo’! 😀
 Sempre me encantou o conceito ‘COOL’ dos Smart! Tanto fica bem para ir à praia de chinelo no pé, como fica bem para ir ao casino de smoking! E no que respeita a essa versatilidade, acho que não há outro carro igual!
Tenho a certeza que tive ‘azar’ com o meu carro, pois em conversa com outros proprietários de Smart diesel, a sensação é exactamente a oposta, havendo tendência para comparar a fiabilidade do pequeno 799cc diesel com os famosos 190D da Mercedes! Duram e duram e duram…
É com frequência que ouço pessoas dizer que jamais venderão os seus Smart, a não ser que seja para comprarem outro melhor….
Como eu os percebo! 😉

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA