COMPARTILHAR
Texto e Fotos: Pedro Bastos
Pós-produção: João Meneses Photography
Quando se anuncia um ‘price tag’ superior a 38.000€ por um ‘pocket rocket’ com 3.60m de comprimento, das duas uma: Ou a marca perdeu o juízo, ou o produto tem que ser francamente bom!
No caso do Abarth 695 Rivale… eu acho que é um pouco de ambos e ainda bem que assim é!
A Abarth criou uma edição limitada que resulta de uma mescla com pormenores revivalistas da famosa marca de iates italianos, Riva!
O resultado final não podia ser melhor, pois graças aos inúmeros detalhes evocativos da luxuosa indústria náutica italiana, ao pequeno 500 é conferido um carácter verdadeiramente ‘premium’!
No exterior, a pintura bicolor combina o Azul com o Cinzento Riva, sendo separadas por uma elegante linha cor de Água-marinha.
A capota elétrica azul, garante um alinhamento estético muito harmonioso com o esquema cromático da carroçaria.
A porta da minúscula e pouco prática bagageira (185litros) deste 695 é enriquecida com uma moldura ‘satin chrome’, também ela inspirada nas grelhas usadas no ambiente náutico.
As jantes de 17 polegadas são pintadas de um cinzento prata que lhe conferem um carácter mais sóbrio, sobretudo quando comparadas com a tendência para pinturas mais escuras, evidente na maioria dos seus concorrentes (Ensaio YARIS GRMN)
Acedendo ao interior, a preocupação com o requinte, tona-se evidente. Tablier, volante, punho da caixa de velocidades manual (automática em opção) e soleiras das portas, apresentam aplicações em madeira, tratando-se da mesma que é empregue na construção dos famosos Riva Aquarama.
Adicionalmente, encontramos pele azul nos bancos e parte superior do painel de instrumentos. Os bancos dianteiros, apesar de continuarem a apresentar uma regulação deficiente em termos de altura, são bastante confortáveis e com bom apoio lateral, não cansando em deslocações mais longas. Claro está, que em virtude das suas reduzidas dimensões, o espaço habitável é escasso, em particular nos lugares traseiros, apesar de um acesso facilitado por uma boa amplitude de deslocação dos assentos dianteiros.
A consola central ganha um ecrã (opcional 400€) Uconnect de 7″, completíssimo nas suas funções e de boa visibilidade, apenas deixando a  desejar em termos de rapidez de reacção,
A unidade ensaiada dispunha ainda de uns opcionais (850€) faróis Bi-xénon, apresentando uma clara vantagem face às unidades com halogéneo que conheci até hoje.
Enquanto me preparo para conduzir, revisito aquela que é uma das piores posições de condução de um desportivo moderno, ora com pernas demasiado fletidas para um alcance correto para o volante, ora o inverso, com os braços demasiado esticados para um alcance correto para os pedais. Para ‘ajudar’ à festa, o volante apresenta uma inclinação acentuada e uma grossura um tanto ou quanto exagerada…
No entanto, e tal como já tive oportunidade de referir noutros ensaios (Abarth 595 Competizione MY2015 e Abarth 595 Competizione MY2017), a posição de condução é antes uma ‘característica’, mais do que um ‘defeito’, sendo que rapidamente nos esquecemos dela mal rodamos a chave e damos vida ao 1.4T Multiair de 180cv!
O 695 Rivale estreia um sistema de escape by Akrapovic com dois modos de funcionamento, apresentando uma vantagem significativa quando comparado com o anterior sistema ‘Record Monza’, que acabava por se revelar demasiado intrusivo em deslocações mais longas em velocidade constante.
Ainda assim, e sempre que damos à chave, o 1.4T acorda com um som grave e presente, tão característico deste modelos Abarth….Uma delícia!
Equipado com amortecedores Koni FSD e molas Eibach, o pisar do 695, é firme, mas sem se revelar demasiado incómodo, pelo menos enquanto pisos não se degradam consideravelmente, altura em que uma curíssima distância entre-eixos de 2.30m acaba por conferir ao Rivale (bem como a qualquer outro Abarth) um comportamento mais ‘saltitão’.
Como é óbvio, este setup de suspensão é ideal para andamentos vivos, garantindo não só um adornar mínimo de carroçaria, como uma motricidade infalível, coadjuvada pela presença de um diferencial autoblocante mecânico (opcional 1.900€), que incita a acelerar logo após o apex de cada curva!
Pensar numa velocidade máxima de 225km/h para um veículo destas dimensões e com apenas 1.150kg de peso, pode não ser o cenário mais convidativo. Já uma aceleração de 0-100km/h, cumprida em apenas 6.7s é algo a que, estou seguro, muitos dos seus proprietários recorrerão amiúde!
Numa condução desportiva, pressionar o botão ‘Sport’ torna-se condição mandatória, pois não só abre a válvula no Akrapovic, dando lugar a uma sonoridade digna de ‘dia de corridas’, como a partir desse momento desfrutamos em pleno dos 250Nm de binário máximo, de um peso extra na direcção e de uma resposta de acelerador muito mais imediata!
É nestes momentos de condução mais inspirada que agradecemos a presença de um sistema de travagem Brembo, com pinças de quatro êmbolos na dianteira, que mordem uns discos ventilados e perfurados de 305mm.
Este sistema de topo, não só é capazes de imobilizar os ímpetos deste 695 Rivale em curtíssimas distâncias, como de forma repetida, evidenciando uma boa resistência à fadiga.
Desde o primeiro Abarth 500 que conduzi, algures em 2010, que estes pequenos ‘pocket rocket’ italianos exerceram sobre mim um enorme fascínio, destacando principalmente a forte ligação homem-máquina que desfrutamos quando estamos ao volante!
Longe de serem perfeitos, são automóveis com imensa ‘alma’, que rapidamente se transformam num objecto de desejo, independentemente de serem caros ao ponto de os olharmos como viaturas ‘premium’.
O ‘cool’ factor associado a este modelo é incontestável e no caso deste 695 Rivale, esse efeito é sublimado, conferindo-lhe um estatuto de verdadeiro Abarth de Luxo!
Mas tranqulizem-se, não precisam de dispender 38.000€ para ter um Abarth… Os preços começam nos 23.000€ para as versões 1.4T de 145cv. Afinal o sonho italiano pode estar mais perto!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA